Pixel Show 2010 – Quase lá.

setembro 29, 2010

Está chegando a hora do PIXEL SHOW 2010!

Pra nós, artistas e amantes da arte, é um evento singular e imperdível.

See you there!

“O Pixel Show é o primeiro evento brasileiro focado em criatividade: fotografia, ilustração, artes visuais, graffiti, moda, cinema, games, e também tecnologia. A conferência é organizada anualmente pela editora Zupi e marca uma trajetória de sucesso no Brasil, crescendo desde outubro de 2005.

Além das edições do Pixel Show São Paulo, em 2009 foi realizada a edição do PS em Salvador, para cerca de 1300 pessoas. E em abril de 2010 foi organizada a primeira edição do Pixel Show em Porto Alegre, um sucesso de público com mais de 6000 pessoas.

Em um circuito de palestras que apresenta cases e portfolios de renomados artistas brasileiros e internacionais, o Pixel Show visa discutir temas atuais sobre a arte moderna e o mercado de trabalho, inspirando e motivando jovens (e experientes) profissionais.

Paralelo às palestras, a Zupi oferece um espaço gratuito e aberto ao público com uma feira focada em ARTE, DESIGN, TECNOLOGIA E MODA, na qual empresas ligadas ao segmento artístico e tecnológico, ou mesmo outras vertentes, poderão apresentar seus serviços e produtos. Além disso, disponibiliza espaços para a realização do festival de animação e motion, exposições e painel para intervenção do público presente e de artistas convidados.”

Add to FacebookAdd to NewsvineAdd to DiggAdd to Del.icio.usAdd to StumbleuponAdd to RedditAdd to BlinklistAdd to TwitterAdd to TechnoratiAdd to Furl


Bilbo e a Queda do Dragão.

julho 25, 2010

Sendo um bom fã de Tolkien, ilustrarei, de forma figurativa, um episódio lamentável que ocorreu comigo, em um de meus trabalhos dos últimos meses. Pelo que eu conheço do mercado, não é nada incomum. Muito pelo contrário, são fatos que qualquer artista enfrentou, está enfrentando, ou enfrentará em sua carreira. E agora aconteceu comigo, que sempre mantive uma relação especial com todos aqueles com os quais já trabalhei direta ou indiretamente (a maioria absoluta de todos os meus clientes e parceiros hoje são bons amigos). Nada de novo. Mas para nós, que somos do bem, é sempre uma surpresa desagradável.

Bilbo Bolseiro é um Hobbit. Hobbit são seres menores do que os anões, andam descalços, têm os pés peludos, gostam muito de comer, de dormir e vivem em tocas confortáveis, em paz, sem muitas aventuras. Bilbo, porém,  é um Hobbit diferente. Sai do Condado, a aldeia Hobbit onde vive, em busca de aventuras com o mago Gandalf e uma turma de anões.

No ápice das suas aventuras, Bilbo vai ao encontro de um dragão, chamado Smaug. Como a maioria destes seres, este é um dragão feroz e ganancioso. Passou eras acumulando fortunas saqueadas de reinos antigos e vive em uma montanha, exatamente em cima de toda essa descomunal quantidade de ouro e jóias roubadas. Raramente deixa seu tesouro e os poucos que tentaram lá entrar não voltaram para contar.

Smaug sabe muito bem o quanto tem e onde está cada peça de moeda sua. Sente o cheiro de ladrões a quilômetros de distância e é muito inteligente. Apesar disso, Bilbo, o Hobbit, resolve ajudar os anões na empreitada contra Smaug e ele próprio rouba uma das peças de ouro da pilhagem do dragão, apenas para demonstrar que apesar de pequeno, poderia enfrentá-lo.

Smaug fica furioso por ter sido provocado e após alguns outros fatos da história, decide destruir toda a vila de anões que vivem à volta de “sua” montanha. A batalha enfim ocorre…

Artistas, especialmente os que trabalham com imagem, são, na sua grande maioria, seres pacíficos. Vivem em seus locais de trabalho em paz, fazendo o que fazem de melhor, criando, às vezes sem qualquer conforto. Não têm muita disposição para “aventuras”, gostam de comer, de dormir e alguns andam descalços.

Um dia, todos que trabalham com arte, enfrentarão seus dragões. “Entes” gananciosos, ávidos por querer diminuir o valor moral do artista, em nome de ego, poder e dinheiro. Caberá aos pequenos mostrar-lhes que são mais fortes, melhores, mais inteligentes, mais criativos e até maiores.

Na realidade, estes seres ignóbeis agem dessa forma, exatamente por nada terem de valor. Não têm criatividade, não têm inteligência, não têm senso de cooperatividade e vivem pagando a conta de seus atos podres. Pagam caro, pois acham que suas artimanhas não são percebidas, quando na verdade estão sendo observadas de perto, exatamente pelos donos do “ouro” que querem roubar e por aqueles que, por mérito, são merecedores.

A “entidade” em específico da qual estamos falando, é incapaz, inescrupulosa, maldosa e fez de tudo para prejudicar a mim e ao meu amigo cliente. Mas o fim do livro já está escrito e nunca irá mudar. O dragão morre, por causa de sua ganância e de sua arrogância, os anões recuperam seu ouro e Bilbo volta satisfeito para casa, por tê-los ajudado (e bem recompensado). E no meu caso, o dragão está muito longe de poder ser comparado ao poderoso Smaug. Não é criativo, não sabe falar ou escrever direito, é covarde, mal sabe o que tem nas mãos, falta-lhe a mínima capacidade de raciocínio e é pequenininho, pequenininho…

Agora, peço-lhes licença, pois está na hora do lanche da noite!

Conversation with Smaug - Illustration by George Allen & Unwin

<p style=”text-align:center;” class=”getsocial”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2003.png&#8221; /><a title=”Add to Facebook” href=”http://www.facebook.com/sharer.php?u=https://paoliblog.wordpress.com/2010/07/25/bilbo&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2013.png&#8221; alt=”Add to Facebook” /></a><a title=”Add to Digg” href=”http://digg.com/submit?phase=2&amp;url=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&amp;title=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2023.png&#8221; alt=”Add to Digg” /></a><a title=”Add to Del.icio.us” href=”http://del.icio.us/post?url=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&amp;title=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2033.png&#8221; alt=”Add to Del.icio.us” /></a><a title=”Add to Stumbleupon” href=”http://www.stumbleupon.com/submit?url=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&amp;title=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2043.png&#8221; alt=”Add to Stumbleupon” /></a><a title=”Add to Reddit” href=”http://reddit.com/submit?url=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&amp;title=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2053.png&#8221; alt=”Add to Reddit” /></a><a title=”Add to Blinklist” href=”http://www.blinklist.com/index.php?Action=Blink/addblink.php&amp;Description=&amp;Url=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&amp;Title=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2063.png&#8221; alt=”Add to Blinklist” /></a><a title=”Add to Twitter” href=”http://twitter.com/home/?status=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.+%40+http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2073.png&#8221; alt=”Add to Twitter” /></a><a title=”Add to Technorati” href=”http://www.technorati.com/faves?add=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2083.png&#8221; alt=”Add to Technorati” /></a><a title=”Add to Furl” href=”http://www.furl.net/storeIt.jsp?u=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&amp;t=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2093.png&#8221; alt=”Add to Furl” /></a><a title=”Add to Newsvine” href=”http://www.newsvine.com/_wine/save?u=http%3A%2F%2Fpaoliblog.wordpress.com%2F2010%2F07%2F25%2Fbilbo&amp;h=Bilbo%20e%20a%20Queda%20do%20Dragão.&#8221; target=”_blank”><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2103.png&#8221; alt=”Add to Newsvine” /></a><img style=”border:0;margin:0;padding:0;” src=”http://getsocialserver.files.wordpress.com/2009/02/gs2113.png&#8221; /></p>

Add to FacebookAdd to DiggAdd to Del.icio.usAdd to StumbleuponAdd to RedditAdd to BlinklistAdd to TwitterAdd to TechnoratiAdd to FurlAdd to Newsvine


Microstock – Quando e Para Quem Vale a Pena?

março 29, 2010

Há alguns anos, um fenômeno no mercado de Stock tem assolado os bancos de imagem: agências de Microstock têm se espalhado pela internet como uma verdadeira febre, enquanto que os Stocks tradicionais perdem cada vez mais mercado. O motivo principal: O PREÇO das imagens.

Para quem não conhece muito, trocando em miúdos, funciona mais ou menos assim:

Em stock, a venda tradicional de imagens varia muito, de acordo com o tipo de uso da imagem: tempo de uso, se é para fins editoriais – de acordo com o número de tiragem impressa, o tamanho da imagem, onde ela irá ser colocada, etc – ou apenas para internet, o tamanho da imagem adquirida em pixels, enfim, tudo interfere no valor, além da qualidade e impacto da própria imagem.

Em microstock, geralmente a variação ocorre apenas pelo tamanho em pixels escolhido pelo cliente.

Comparando-se uma mesma imagem nos dois tipos de agência, teríamos, por exemplo, uma foto de lifestyle a U$ 100,00 em stock, para uso em internet, e U$ 15,00 (quinze dólares – e às vezes até muito menos) em microstock, para a mesma finalidade. Qual a pegadinha do malandro? EXCLUSIVIDADE.

Uma foto comprada em Stock, garante ao cliente (por contrato) a exclusividade daquela imagem por um número “x” de tempo, enquanto que as fotos de microstock podem ser vendidas quantas vezes o fotógrafo e a agência quiserem. Para a agência é formidável, pois é um negócio extremamente lucrativo. Para o fotógrafo, “pode-se dizer” que seja bom, pois se ele vender 200 vezes a mesma foto, terá ganho pelo menos U$ 1.500,00 (geralmente a comissão da agência é de 50%).

Já pelo ponto de vista da empresa que comprou a foto para usar em seu site, é horrível. Outras 200 empresas estarão usando a mesma imagem para passar “credibilidade” a seus clientes. Para ilustrar bem, leiam este artigo, publicado no blog do Stock Photographers Direct. Chega a ser ridículo, não?

Não sou contra microstock e inclusive digo que algumas coisas eu poderia vender para essas agências. Há mercado para todo o tipo de fotografia e estilo pessoal. Sobre o ponto de vista técnico das imagens, encontram-se imagens excelentes (lindas mesmo, de impressionar) em microstock, por um valor irrisório (o que eu acho um desperdício). Os fotógrafos podem  ganhar muito bem a vida com isso, se trabalharem full time com essa finalidade (mas vejam, é preciso vender muito para valer a pena, enquanto que às vezes paga-se as contas do mês com uma única imagem vendida em Stock).

Por outro lado (por favor, me expliquem a lógica disso): por que diabos um empresário que gastou de U$ 1.000 , U$ 5.000, U$ 10.000 no site da sua empresa e quer passar confiabilidade, opta por fazer uma opção dessas, ao invés de gastar um pouco mais e ter imagens que somente ele poderá ter?

Se for por economia, é uma economia cega. A pessoa vai no google e digita “transport, trucks, logystic” (transporte, caminhões, logística) e lhe aparece uma relação de 200 empresas. Dessas 200, 20 possuem imagens idênticas na homepage (e às vezes no resto do site). A mensagem que isso me passa é “são apenas mais 20 empresas de logística iguais”. Péssimo para os negócios.

Se não é por isso, ou é por falta de atenção para a parte visual do negócio, ou mesmo a total falta de conhecimento e comunicação com o webdesigner, o que também não é nada bom.

Para fins editorias.. OK. Em algumas situações é bem plausível a utilização, mas… já vi revistas brasileiras *inteiras* ilustradas com imagens Royalty-Free de microstocks, inclusive a capa. Uma delas (pasmem) de DIREITO, que não vou citar aqui por motivos óbvios. É pra rir, ou pra chorar?

Add to FacebookAdd to DiggAdd to Del.icio.usAdd to StumbleuponAdd to RedditAdd to BlinklistAdd to TwitterAdd to TechnoratiAdd to FurlAdd to Newsvine


Two Rock Stars!

abril 9, 2009

rock_stars

A emoção da paternidade é algo que não pode ser descrito com palavras, mas o evento pode ser narrado. No dia 06/03, nasceu o garotão da foto – o menorzinho :-). O grandão cabeçudo sou eu.

Esperamos por exatas 39 semanas, passando por alguns momentos muito difíceis em nossa vida pessoal, outros um pouco menos difíceis e outros agradáveis. E ele lá firme, lutando conosco e nos consolando. Sim! Porque sem esse carinha, todos esses momentos difíceis teriam sido insuportáveis e ele nos ajudou de um jeito que nenhuma outra pessoa conseguiria – inclusive os psicólogos, psiquiatras e outros psi…

No dia D, saímos de casa às 6h da manhã, com hora marcada para o show. Fizemos o percurso tranqüilamente, escutando músicas selecionadas – uma das quais do Tim Maia, que alegrou bastante estas primeiras horas da manhã. Já no hospital, houve uma pequena espera até o momento de sermos levados ao local do parto. Eu, como pai, logicamente fiz toda questão de participar da cirurgia. Muitos perguntaram e respondi: não senti qualquer medo, não fiquei nervoso, não me desesperei, não me impressionei com o sangue e todo procedimento… apenas fui lá e fiz meu trabalho – de pai e de fotógrafo (na medida do possível).

Antes de entrar no centro cirúrgico fiquei um tempo sozinho em uma outra sala, aguardando todo o preparo necessário para o parto. Esses foram cerca de trinta minutos, nos quais pude me preparar para ser o melhor. Fiz orações, tive algumas conversas com a espiritualidade, meditei, fiz um auto-retrato e me concentrei para o momento. Um outro pai passou pela sala por uns 5 minutos. Ambos nos olhamos, desejamo-nos boa sorte, porém com os olhos, sem sequer abrir a boca. Não era o momento de ser sociáveis e sim concentrados e solidários.

“-Alexandre?” chamaram… E lá fui eu, com a pequena câmera em punhos, pronto para filmar e fotografar, com a mão firme e coração idem. A emoção de me encontrar com minha esposa, ali naquela sala, foi indescritível. Temos uma história tão fantástica quanto esse nascimento e tudo nos vinha à mente no momento. Alguns minutos mais tarde, lá veio ele, finalmente pudemos conhecer nosso filhote.

Beijei o bichinho recém saído do ventre e me senti como se tivesse revendo alguém que já conhecia. Durante toda a gestação, o Paulinho estava conosco de uma forma tão presente, que o nascimento foi uma apresentação formal de uma grande amizade preexistente. Não por isso, serei mais um a repetir o velho jargão de que foi a “emoção” mais forte que senti na vida, no melhor sentido que se pode ter dessa palavra.

Enfim, um mês depois, cá estamos em casa, sem enfermeiras, sem auxiliares, sem médicos, sem serviço de quarto… Ou seja, como sempre quisemos estar, em paz, muito tranqüilos e seguros, desde o primeiro dia.

Pulamos a etapa do “desespero”, da insegurança e o aprendizado foi construído desde muito antes de pensarmos em ter um filho. Sempre fomos muito observadores e estudiosos, logo, pudemos aprender muito com alguns bebês filhos de amigos e parentes nossos, com o canal Discovery Home and Health – com o inconveniente das horríveis dublagens – e logo que soubemos da gravidez, com todos os livros e revistas que tivemos tempo de ler. Qualquer ação e decisão pode ser feita com muito mais segurança e tranqüilidade, quando já se tem uma idéia inicial de onde partir, quando o momento exigir.

Falando de fotografia, a melhor dica que posso dar àqueles que, como eu, quiserem registrar as imagens do nascimento de seus filhos é: relaxar e aproveitar o momento. Ver tudo com os olhos e não através do viewfinder ou LCD da câmera. E levar o mínimo possível para a sala de parto. Ao invés de todos os trabolhos high-tech que possuo, escolhi a pequena e boa Canon G9. Pequena o suficiente para que não me incomodasse (ou à equipe médica) e boa, pois me permitiu excelentes imagens e vídeos com ótima qualidade.

Assim, após alguns meses de jejum dos posts no blog, fica aqui o meu primeiro como pai coruja, em comemoração e agradecimento a Deus, à minha esposa e a ele, por ter nos escolhido como sua família.


Astronomia e CIA

maio 14, 2008

 

Para aqueles que gostam de ciências e astronomia, aqui vão alguns links que separei hoje para os poindexters de plantão:

http://pbase.com/legiorgi – galeria de astro-fotografias de Luiz Giorgi, pai de Veronica e Dimi, grandes amigos. As imagens, maravilhosas e de uma qualidade impecável, são feitas com equipamento específico para este tipo de fotografia, o que também pode ser visto na galeria.

http://www.worldwidetelescope.org/ – uma ferramenta ainda em desenvolvimento, que, como diz no site, fará com que seu computador funcione como um telescópio, a partir de imagens fornecidas pelo Hubble e outros importantes telescópios.

http://hubblesite.org/ – Indicação da minha querida amiga Sil Pinotti. Tudo sobre o Hubble, além de muita informação.

http://www.stelarium.com/ – Software gratuito para observação do espaço (já uso e é muito interessante), permite visualizar o céu a partir de qualquer lugar do mundo, com a precisão da data e horário que está sendo observado.

http://www.ceuaustral.astrodatabase.net/ – Site do Prof. Paulo Gomes Varella, Professor do Planetário do Ibirapuera (entre outras qualificações) com agenda de cursos e informações muito interessantes.

http://www.google.com/sky/ – Google Sky – Que funciona como o Google Earth.

http://www.justmagic.com/ – Falando em Google Earth, o site da Magic Instinct Software oferece um software o “Google Ocean” (em http://www.justmagic.com/GM-GE.html) que combinado com o Earth fornece dados fluviais: tempo, fotos aéreas, fotos costeiras, naufrágios, etc, tudo em 3D.

http://www.greenpeace.org/brasil/a-trilha-das-grandes-baleias/siga-a-trilha-das-grandes-bale – Monitoramento de baleias jubarte feito pelo Greenpeace, o que faz parte de um projeto contra matança dos animais. O link mostra a posição das baleias monitoradas no oceano, através de ícones colocados no google maps, que, ao serem clicados, fornecem foto e informações sobre cada baleia.

http://setiathome.berkeley.edu/ – experimento científico que utiliza computadores conectados entre si pela internet, na busca de inteligência extra-terrestre. Aberto para quem quiser participar, instalando um software no próprio computador.

http://area51.blig.ig.com.br/ – e (porque não?) falando neles, fugindo um pouco (mas nem tanto assim) do foco do post, pra quem se interessa pelo assunto, o Blog Área 51 de um amigo, com conteúdo alienígena, fotos, vídeos, notícias e teorias (malucas ou não? Você decide!) de todas partes do mundo.